Make your own free website on Tripod.com

Exames de laboratório
Milton Artur Ruiz

Os exames laboratoriais estão cada vez mais sofisticados e seguros . O diagnóstico de inúmeras doenças causadas por vírus , anteriormente de difícil execução hoje já são realizados com boa margem de êxito . Colaborou para o avanço técnicas revolucionárias de biologia molecular , sendo que a principal é a reação de cadeia da polimerase ou PCR .Com a técnica é possível pegar um pequeno pedaço de uma parte de um vírus ou de qualquer uma proteína aumentá-la e posteriormente em poucas horas identificar se a mesma está presente no paciente. Para exemplificar tomemos como exemplo uma pessoa que seja infectada pelo vírus da Aids. Normalmente através dos testes usuais o que detectamos no sangue do paciente a presença dos anticorpos que o organismo produziu para se defender do ataque dos vírus. Este é o exame tradicional chamado Elisa . Este teste dá um resultado positivo a medida em que o organismo produza os anticorpos e a níveis satisfatórios para que ele seja detectado pelo reagente empregado . Isto quer dizer que por vezes a quantidade de anticorpos pode existir mas por ser pouca o teste pode ser negativo ou demorar um tempo para tornar-se positivo. Outro aspecto é que muitos destes testes com estes princípios apesar de serem importantes apresentam muitas vezes limitações e interferências que o fazem ser positivo para um determinado vírus ou doença quando isto não é verdade . O teste do PCR detecta o vírus e pequenas quantidades virais e fazem com que o diagnóstico seja mais precoce , preciso e pode inclusive determinar se ao resposta ao tratamento de doenças virais como Aids ou hepatite por exemplo está ou não ocorrendo.

De materiais como escarro e sangue pode-se retirar fragmentos minúsculos de DNA ou RNA dos microorganismos e identificá-los com absoluta segurança. Este progresso no diagnóstico chegou também principalmente para gestantes e fetos com as técnicas de biologia molecular . Assim diagnósticos precoces da Aids nos recém-nascidos da toxoplasmose e rubéola nas gestantes antes de difícil confirmação laboratorial com segurança hoje fazem parte do arsenal clínico do medico para uma intervenção segura em benefício do paciente. No entanto é bom lembrar que apesar de todo o avanço , a decisão na indicação do tipo de teste a ser utilizado de pende do médico assistente que é o único com capacidade de avaliar o custo e o beneficio que cada um dos métodos propiciará ao paciente.

Resultados errados ou modificados mas certos

Quem já não desconfiou de um resultado de laboratório, creditando ao mesmo erro ou até troca com o de uma outra pessoa. Quantas vezes uma repetição faz com outro resultado seja encontrado havendo então uma desconfiança sobre a qualidade do laboratório. Saiba que isto pode ocorrer e os resultados serem corretos . Vários fatores podem interferir nas ocorrências e elas podem ser creditadas a modificações fisiológicas do próprio paciente , uso de medicamentos que alteram resultados ou mesmo peculiaridades do próprio método empregado para o exame . Em relação a modificações fisiológicas vários exemplos podemos citar a contagem dos glóbulos brancos que pode variar em situações de estresse, exercício físico ou mesmo variar durante o dia e assim dependendo da hora da colheita do sangue os resultados poderão não ser exatamente o mesmo. É comum um paciente ter um exame realizado meses ou tempos atrás e ao realizar um novo exame de sangue encontrar resultados diferentes. Isto é o que deve ocorrer pois é quase impossível que os resultados sejam iguais podendo no mínimo serem parecidos. A explicação para tanto é fisiológica pois o organismo fabrica e substitue milhões de glóbulos vermelhos , brancos e plaquetas diariamente que podem modificar-se em diversas e variadas situações clínicas dependendo da idade ou sexo. Outros exames sujeito a variações são os testes bioquímicos de dosagens de colesterol e triglicerídeos. Isto se deve muitas vezes a um preparo inadequado para a realização do exame pois muitas vezes o jejum de 12 horas não é o suficiente para que sejam obtidos valores reais e assim o pciente pode ser rotulado como portador de Hipercolesterolemoiia ou trigliciridemia e assim iniciar um tratamento desnecessário. Por isto é que os resultados devem ser bem interpretados , o preparo adequado e sob orientação do laboratório , pois variações nos exames descritos podem ser até devido a variações biológicas do paciente e não erro do laboratório. Estes dois exemplos podem ser extrapolados para outros exames e por isto os exames devem sempre serem considerados como complementares pois é isto o que naverdade esles são , um complemento do raciocínio do médico clínico , e como tal sempre assim considerados.

Medicamentos e resultados de exames

Um dos fatores responsáveis pela alteração dos resultados dos exames sào os medicamentos. Muitas vezes pessoas são tratadas por resultados aparentemente alterados por medicamentos em que o paciente não informa quando da realização do exame . Existem relatos inclusive da omissão da informação por pacientes de remédios utilizados inadvertidamente. Como exemplo , antitérmicos comuns e utilizados sem prescrição médica como a dipirona alteram exames que avaliam a função do rim. Antibióticos que sejam eliminados pela urina ou medicamentos que sejam excretados pela mesma via também fazem o mesmo em relação a esses exames .Medicamentos que fazem a urina modificar de cor também exercem efeito anormal na avaliação da urina. A vitamina C largamente utilizada hoje em dia pode aumentar o valor da taxa de glicose ,a creatinina e o cálcio na urina.

Assim o AAS o ácido acetil salicilico pode aumentar os níveis de colesterol , ácido úrico e os triglicerídos. Outro antitérmico como o Paracetamol pode aumentar os valores das transaminases, , glicose , creatinina , uréia , ácido úrico e a dosagem das bilirrubinas. A penicilina aumenta a glicose na urina e os ansiolíticos como os benzodiapinicos aumentam as transaminases e diminuem os hormonios da tireóide.

Os medicamentos podem diminuir os valores dos exames descritos e alterarem os resultados dos testes de coagulação que são particularmente sensíveis e muitas vezes utilizados para o uso do controle de medicamentos como anticoaguulantes orais . As vezes medicamentos se associam e interagem , alteram os resultados destes teste e podem em determinadas situações colocarem o paciente sob risco por modificação inadequada do tratamento .

Por este motivo é que é necessário que o paciente informe sempre ao seu médico e ao laboratório onde irá realizar o seu teste laboratorial o uso de medicamento, para que interpretações inadequadas não sejam realizadas nos mais de mil tipos de exames existentes que podem ser modificados pelos 15 mil remédios comercializados no país .